setembro 28, 2021
Destaque

Aeroporto de Maragogi começa a ser construído e terá até 15 voos semanais

Autorização para o início das obras foi dada nesta quinta-feira (4) pelo governador Renan Filho; previsão para operacionalização é de 2 anos

Thiago Sampaio
Governador Renan Filho assinou, nesta quinta (4), em Maragogi, ordem de serviço para a construção do Aeroporto Costa dos Corais

Agência Alagoas

Texto de Severino Carvalho e Thiago Tarelli

Depois de mais de duas décadas de espera, o Aeroporto Costa dos Corais, em Maragogi, começa, enfim, a sair do chão e a alçar voo. O governador Renan Filho e o secretário de Estado do Transporte e Desenvolvimento Urbano, Mosart Amaral, assinaram, nesta quinta-feira (4), a ordem de serviço para o início das obras do equipamento, orçado em cerca de R$ 120 milhões, com recursos próprios do Tesouro Estadual alagoano.

Diante da dificuldade financeira do governo federal de executar a obra, o Estado de Alagoas assumiu a empreitada de erguer o aeroporto, que vai fortalecer o desenvolvimento do turismo regional. “Num momento de dificuldades orçamentárias que vive o país, quando a gente tem os próprios recursos, facilita a execução da obra. Promovemos a desapropriação da área, fizemos a licitação e hoje estamos assinando a ordem de serviço”, destacou Renan Filho.

O Aeroporto Costa dos Corais contará com um terminal de embarque e desembarque de passageiros, pista de pouso e decolagem de 2.200 metros de extensão, além de um pátio para abrigar duas aeronaves simultaneamente. A área total do empreendimento é de 340 hectares.

Renan Filho lembrou que, junto aos secretários do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, e do Transporte e Desenvolvimento Urbano, Mosart Amaral, visitou todas as grandes companhias aéreas do país, que garantiram voos para Maragogi. “Trata-se de um projeto estruturado, acompanhado pelo BNDES e nós vamos, depois, conceder a operação, que será 100% privada, para potencializar a chegada de voos aqui. A gente espera de 10 a 15 voos semanais já no início da operação do aeroporto”, projeta Renan Filho, acrescentando que o equipamento também poderá servir de alternativa ao escoamento de cargas do Complexo Industrial Portuário de Suape, em Pernambuco.

“O aeroporto vai induzir o desenvolvimento econômico do Norte de Alagoas e do Sul de Pernambuco”, enfatizou.

A obra será executada pela Secretaria de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand) e tem prazo para conclusão de dois anos, após o início dos trabalhos.

“Conforme sempre é o costume do governador Renan Filho: ele assina a ordem de serviço e as obras já são iniciadas. As máquinas já estão trabalhando para que a gente possa acelerar cada vez mais e entregar o aeroporto o mais rapidamente possível”, afirmou Mosart Amaral.

O Litoral Norte de Alagoas é o segundo maior polo turístico alagoano. O município de Maragogi se consolidou como o destino mais procurado por visitantes na região e o segundo mais visitado em Alagoas, ficando atrás apenas da capital Maceió.

“O aeroporto vai facilitar demais o acesso do visitante ao nosso destino turístico. O turista que vem do Sul, do Sudeste, na realidade de hoje, viaja praticamente o dia todo, quase 12 horas para chegar a Maragogi. Depois que chega a Alagoas, com as conexões e tudo mais, ainda tem duas horas de viagem até chegar aqui, tanto para quem vem de Maceió como do Recife”, citou o secretário municipal de Turismo de Maragogi, Diego Vasconcelos, destacando a importância da construção do Aeroporto Costa dos Corais.

A solenidade de assinatura da ordem de serviço foi realizada na área onde será erguido o aeroporto. Participaram da cerimônia: o ministro do Turismo, Gilson Neto; o senador Renan Calheiros; o presidente da Embratur, Carlos Brito; e o prefeito de Maragogi, Sérgio Lira, além de secretários estaduais, parlamentares, prefeitos de municípios da região Norte de Alagoas e do Sul de Pernambuco, representantes do trade e operadores do turismo alagoano, dentre outras autoridades.

“Essa obra, eu sou testemunha disso, é uma obra do governador Renan Filho. Ele teve a coragem cívica e se não fosse a tenência dele não teria saído do papel. Estamos aqui para apoiar no que for preciso”, declarou o ministro do Turismo.

“Hoje é um dia que coroa com muito êxito o esforço pessoal do governador Renan Filho em transformar isso em realidade. Eu ainda tinha os cabelos pretos quando a gente falava no aeroporto e hoje estão brancos. Já se passou muito tempo desde 1995 pra cá. O aeroporto é um instrumento muito importante para desenvolvimento do turismo regional. Mais do que isso, ainda há a possibilidade dele funcionar como ponto de drenagem da nossa produção de fruticultura com rapidez para os centros consumidores como São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, dentre outros”, citou o prefeito de Maragogi.

O presidente do Costa dos Corais Convention & Visitors Bureau (CCC&VB), Luiz Cláudio Gonçalves, o “Lula”, afirmou que a essência do aeroporto de Maragogi está na viabilização da acessibilidade pelos visitantes, com mais facilidade e menor custo. “Ao você viabilizar a acessibilidade com facilidade e menor custo, naturalmente você aumenta o fluxo turístico. Dessa forma, todos saem ganhando: a receita aumenta, os investimentos começam a acontecer, os empregos crescem e a nossa população passa a ter uma condição de vida melhor”, avaliou Lula.

Desafio

Renan Filho afirmou que após a construção do Aeroporto Regional Costa dos Corais, o desafio será elevar a infraestrutura urbana de Maragogi e região, sobretudo por meio de obras de esgotamento sanitário e de abastecimento de água. Para isso, serão investidos cerca de R$ 105 milhões, através de operação de crédito junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

“Temos de enfrentar esse desafio, fazer um grande projeto criativo, que integre investimentos privados com a melhoria dos espaços públicos. Será o maior investimento em saneamento básico da história de Maragogi”, assegurou o governador.

O secretário Rafael Brito destacou que o Aeroporto Costa dos Corais, assim como as demais obras do Estado, são fruto da obstinação do governador Renan Filho em gerar emprego e renda para o povo alagoano. “Este foi um ano muito difícil para o turismo de Alagoas, a pandemia tirou o sonho de ter o melhor ano do turismo da história do estado, porém, ainda assim, os meses de novembro e dezembro do ano passado, e janeiro deste ano, mostram que o segmento é muito forte em Alagoas e, principalmente, muito resiliente. E isso se comprova com a notícia de que somos o Destino mais vendido de todas as operadoras turísticas do Brasil para estes períodos”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo.