maio 14, 2021
Política

Câmara dos Deputados adia retomada de trabalho presencial

Arthur Lira assinou ato que suspende o protocolo de volta gradativa das atividades presenciais em função da pandemia

Jornal de Brasília
Por Simone Salles*
Especial para o Jornal de Brasília

O presidente Arthur Lira voltou atrás sobre a retomada das atividades no período em que perdurarem as restrições ao funcionamento de atividades não essenciais e de movimentação de pessoas no âmbito do Distrito Federal. Ele assinou ato nesta segunda-feira que suspende excepcionalmente o protocolo de volta gradativa das atividades presenciais em função da emergência de saúde pública relacionada ao coronavírus na Câmara dos Deputados.

O documento vale para os servidores e não afeta o trabalho parlamentar, que permanece a critério dos deputados. A volta ao trabalho semipresencial tinha sido retomada há pouco tempo, quando tinham acesso à Câmara congressistas, servidores, terceirizados, profissionais de veículos de imprensa, assessores de entidades e órgãos públicos, representantes de instituições de âmbito nacional, estagiários, mas a alta taxa de ocupação dos leitos hospitalares das redes pública e privada e o crescente número de contaminados reverteram essa decisão.

O número oficial de casos de Covid 19 registrados na Câmara de Deputados aumentou desde o início do ano. Nas últimas semanas, houve aglomerações e quebras de protocolos com relação às medidas de controle da pandemia. A Casa conta com mais de 17 mil servidores e sua estrutura arquitetônica, com poucas janelas, salas pequenas, inclusive nos subsolos, com baixa ventilação, dificulta a retomada segura das atividades e a observância dos consensos científicos, além das orientações das autoridades sanitárias.

*Jornalista, mestre em Comunicação Pública e Política.