novembro 28, 2022
Governo de Alagoas

“Estamos aguardando pacientemente a decisão do ministro Gilmar Mendes”, diz deputado

  

Edivaldo Júnior

A Assembleia Legislativa de Alagoas não realizou sessões desde a suspensão da eleição indireta para governador e vice-governador, que estava convocada para o último dia 2 de maio.

E, tudo indica, deve continuar no “compasso de espera”. O grupo majoritário no Legislativo, com 22 dos 27 deputados da Casa, aparentemente decidiu não deliberar nada enquanto o STF dar andamento na ADPF 969. A eleição no Legislativo foi suspensa a pedido do PSB e do PP, partidos que apoiam a pré-candidatura de Rodrigo Cunha (União Brasil) ao governo. O processo é jurídico, com viés político. Quanto mais demorar a judicialização, o entendimento desse grupo, é que haverá um enfraquecimento da pré-candidatura ao governo de Paulo Dantas (MDB), que tem apoio do grupo majoritário no Legislativo.

Em declaração enviada ao blog por aplicativo, o deputado estadual Bruno Toledo (MDB), uma dos líderes do grupo majoritário, avisa que a Assembleia Legislativa vai aguardar “pacientemente” uma decisão do STF.

“A Assembleia Legislativa respeita o ordenamento jurídico e as instituições, portanto estamos aguardando pacientemente a decisão do relator, ministro Gilmar Mendes, sobre o formato de votação constitucional para a dupla vacância de governador e vice de Alagoas”, aponta.

Toledo alerta ainda para os riscos que envolvem as decisões do STF no processo. “Em nossa posse, juramos respeitar e defender a constituição e é exatamente isso que estamos fazendo. A expectativa de todos é que esse capítulo vergonhoso para a história de nosso Estado se encerre o quanto antes. O tempo responsabilizará os autores desse crime contra a democracia”, afirma.