setembro 20, 2021
Geral

Governo de AL e Ufal anunciam resultado de edital de livros acadêmicos

Foram selecionados 12 trabalhos, com temáticas diversas

Jefferson Peixoto

Agência Alagoas

Texto de Naísia Xavier

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapeal), a Impressa Oficial Graciliano Ramos (Cepal) e a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) publicaram nesta segunda (8) o resultado final do edital apoio à editoração e publicação de livros – série teses e dissertações.

Foram selecionadas 12 obras vinculadas à produção dos programas de mestrado e doutorado em Alagoas, 11 delas Ufal e uma do Centro Universitário Tiradentes (Unit). As áreas dos estudos são Educação; Arquitetura e Urbanismo; Letras e Linguística; História de Alagoas; Sociologia; Economia Aplicada; Geografia e Sociedade, Tecnologia e Políticas Públicas.

Os títulos abrangem uma gama variada de assuntos como games, saúde mental, inclusão da pessoa com deficiência, ocupação urbana e violência em Maceió, economia nordestina e uma análise política do pensamento de Graciliano Ramos, entre outros. A lista completa dos trabalhos que vão virar livros está disponível aqui.

Sete das doze pesquisas selecionadas foram escritas por mulheres.

Incentivo

De acordo com o diretor-presidente interino da Fapeal, professor João Vicente Lima, o objetivo do edital foi dar vazão à produção acadêmica dos programas de pós-graduação stricto sensu (PPGs) de Alagoas, aproximando-os do público inclusive através do formato e-book.

“Nós fizemos um arranjo, junto com a Edufal e a Graciliano Ramos no sentido de valorizar a produção que fosse selecionada no interior do PPG. Então, nenhum parceiro institucional que apoia e financia nesse edital interfere nesse processo. Os programas têm autonomia para escolher suas melhores dissertações e teses. O único filtro que foi colocado pelo edital foi o de que os proponentes teriam que ser oriundos de PPGs em que a produção de livro contasse no quesito produção científica na ficha de avaliação da respectiva área na Capes”, explica o gestor, aludindo às avaliações da agência do Ministério da Educação que impacta diretamente no recurso recebido pelas universidades federais para financiar as suas pós-graduações.

“No demais, queremos valorizar o aluno”, comentou o professor João Vicente. “Queremos que quem está fazendo mestrado e doutorado tenha no seu horizonte essa possibilidade de divulgação do seu trabalho no formato de livro. Então, é uma valorização que é feita dos orientadores, orientados, e principalmente, desse indivíduo autor”.

Ele acrescentou ainda que, para a Fapeal, a publicação de livros “é um passo importante, para dar ainda mais visibilidade para a sociedade alagoana do dinheiro que é gasto no apoio à pós-graduação no estado”.