maio 15, 2021
Geral

Mais de 40 pessoas confirmam responsabilidade de Henri Castelli em agressão, diz advogado


Repórter Maceió

A defesa dos suspeitos de agredir o ator Henri Castelli, durante uma festa ocorrida na Barra de São Miguel, em Alagoas, no final do ano passado, afirmou que a pessoa que agrediu o artista apenas revidou um soco que levou e que mais de 40 pessoas que estavam no local podem reproduzir essa versão.

Segundo o advogado Lucas Dória, o ator ganhou 15 cortesias para participar de uma festa realizada no Litoral Norte de Alagoas, mas que foi embora cedo porque a festa estava “parada”.

“Como ele não gostou da festa, ele se deslocou para a Barra, no evento que ocorria na Marina. O Henri chegou lá e procurou a pessoa que tinha dado as cortesias e disse que a festa estava uma ‘merda’, reclamando que não tinha ninguém, e ainda disse: você me respeite que eu ando em locais bons”, conta.

O ator a partir daí, teria passado a constranger o empresário por cerca de 15 minutos. “Até que ele (o empresário) pediu respeito. Foi quando o ator se alterou e deu início à agressão. Ele estava visivelmente alterado, quando deu o soco, que bateu em outro rapaz que estava do lado. Ele levou um soco no olho e teve um derrame”, completa.

Segundo a defesa, seu cliente apenas revidou o soco, que pegou no queixo do ator, e afirma que os seguranças do local separaram a briga, diferente do que conta o próprio artista e algumas testemunhas levadas por ele à delegacia.

“Em São Paulo, ele fez a cirurgia, que gerou o inchaço no rosto. Valendo-se do inchaço na mandíbula, gravou o vídeo que gerou toda a repercussão e, em virtude disso, as pessoas começaram a fazer aquele linchamento virtual. Ele disse que não lembra do que aconteceu, e a versão que existiu foi essa. Temos mais de 40 pessoas que reproduzem essa mesma versão. As pessoas envolvidas estão à disposição para falar a verdade”, informou o advogado.

Ainda de acordo com o advogado, a defesa estuda entrar com uma ação contra o ator. “A defesa pretende, após a conclusão do inquérito, se for dado início a um processo penal, a uma denúncia, trabalhar a instrução para que os supostos agressores sejam absolvidos, e, a partir daí, com essa absolvição dada pela Justiça alagoana, a gente possa mover a ação que seja necessária”.

“É importante esclarecer que os envolvidos são pessoas decentes, de bem, não são bandidos nem pessoas violentas. A verdade precisa ser conhecida, porque até pessoas influentes, com milhões de seguidores, estão generalizando, dizendo que Alagoas é um estado violento, e isso é errado, é injusto”, afirmou.