setembro 28, 2021
Política

Quem tem medo de CPI? “A reação de ataque ao STF é imprópria”, diz senador

Edivaldo Júnior

A instalação da CPI da Pandemia provocou reações adversas. O governo que diz não temer nada, reagiu duramente contra a decisão de Luiz Roberto Barroso. O ministro do STF determinou, em liminar, que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) faça o que manda a Constituição.

A isso, Jair Bolsonaro (sem partido) chamou de interferência em outros poderes e fez duros ataques ao STF – mais uma vez. O presidente chegou a insinuar que alguns ministros do STF são alvo de pedidos de impeachment e que poderia dar o “mesmo tratamento” a eles. Esquece que ele também é alvo de dezenas de pedidos de impeachment.

Mas, diferente de um pedido de impeachment ou de outras matérias, a CPI não pode ficar na gaveta. Tendo o mínimo de assinaturas necessárias, deve ser instalada. É um direito das minorias no nosso regime democrático.

O líder da maioria no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), que já havia pedido diversas vezes que Pacheco cumprisse o que manda a lei, instalando a CPI, comentou a decisão em sua conta no Twitter.

“O ministro Barroso determinou a instalação da CPI da Covid. Investigações políticas são necessárias quando canais tradicionais de apuração estão obstruídos. É imperioso investigar tudo e punir, exemplarmente, eventuais responsáveis por essa tragédia humanitária que estamos vivendo”, disse.

Nesta sexta, Renan Calheiros voltou ao tema e condenou a reação intempestiva do governo. “A reação de ataque ao STF é impropria. Se Jair Bolsonaro diz ‘não errei nenhuma’, não há motivo para sobressalto. É isso que a CPI irá iluminar”.