setembro 28, 2021
Política

Renan destaca aprovação da sociedade à CPI da Pandemia

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) fez um balanço dos trabalhos da CPI da Covid à Globonews, neste domingo (18). O relator da comissão disse à apresentadora Cecília Flesch e aos comentarias Fernando Gabeira e Ana Flor que os trabalhos serão intensificados ao longo desta semana. “Sem dúvida nenhuma, esta semana será mais produtiva que as semanas anteriores. Até agora, tivemos apenas oito depoimentos e ainda não manejamos as informações que estamos recebendo. Nenhuma outra CPI avançou tanto na hostória do parlamento avançou tanto quanto esta”, avaliou.

A CPI da Covid vem sendo bem avaliada pela opinião pública, como relevou o senador. “As pesquisas dizem que há um cenário de mais de 70% de aprovação, e nosso trabalçho, embora não seja fácil, aponta em uma expectativa muito boa. Estamos todos, muito dispostos a fazer o nosso papel. Temos feito perguntas duras, mas com gentileza e educação”, afirmou. Quanto ao tenso depoimento de Fábio Wajngarten, ex-chefe da Secom, Renan Calheiros disse que, pela primeira vez na histórias das comissões parlamentares de inquérito, o Congresso se viu diante de “um flagrante de falso testemunho”.

Renan Calheiros também fez críticas ao comportamento adotado pelo senador Flávio Bolsonaro no âmbito da comissão. “Quem mora no Rio de Janeiro sabe que o miliciano tem uma cultura diferente. Ele nunca se considera criminoso, e acha vagabundas todas as pessoas que o enfrenta. Então, tive que reagir, pois não estávamos preparados para aquilo. O senador chegou, apavorado, diante de uma pesquisa publicada pelo UOL, para as próximas eleições nacionais. Fez aquilo para o pai postar e, no dia seguinte, veio a Alagoas para inaugurar obras que já haviam sido inauguradas”, acrescentou.

Sobre o vereador carioca Carlos Bolsonaro, ele defende sua convocação. “Depois da confirmação de sua participação no ‘Gabinete das Sombras’, precisamos quebrar o sigilo desta gente toda, para que a investigação nesta direção comece a andar. Em sendo necessária a sua convocação, nós vamos chamá-lo”, concluiu.