setembro 28, 2021
Saúde

Sobreviventes da Covid-19 relatam perda de dentes depois da infecção

Ainda não há estudos comprovando a relação entre o coronavírus e a queda de dentes, mas especialistas sugerem comprometimento nas gengivas

DIVULGAÇÃO/CIR

Metrópoles
JULIANA CONTAIFER

Quase um ano após o começo da pandemia de coronavírus, médicos e pesquisadores ainda estão descobrindo como o vírus age. A observação do grupo de pacientes com Covid-19 persistente, que sentem os sintomas da doença por muitos meses, ainda oferece novas informações sobre o Sars-CoV-2 todos os dias — a última notícia é que alguns experimentam queda nos dentes.

Nos Estados Unidos, de acordo com reportagem do jornal The New York Times, há vários relatos de pessoas que perderam dentes sem nenhum sangramento.

Uma das mulheres estava tomando sorvete quando o dente caiu e um garoto de 12 anos perdeu um dos dentes permanentes. Outros pacientes contam ainda que a gengiva ficou sensível, que alguns dentes ficaram cinza ou frágeis o suficiente para perder lascas. A maioria dessas pessoas tem sintomas como dedos dos pés inchados e queda de cabelo.

Não é comum que dentes caiam sem sangramento, diz William Li, diretor médico de uma ONG americana que estuda doenças dos vasos sanguíneos, ao New York Times. Segundo ele, este sintoma pode ser sinal de algo errado nos vasos sanguíneos das gengivas — nesse caso, o dente pode acabar morrendo e cair sem dor.

No restante do corpo, pacientes com quadros graves da infecção produzem muitos coágulos e trombos, o que pode estar acontecendo também na boca.

“A gengiva é muito sensível a reações hiper inflamatórias, e pacientes com Covid-19 persistente certamente se encaixam nesta categoria”, explica o dentista Michael Scherer. Os especialistas chamam atenção ainda para a saúde bucal: pessoas que já tinham problemas odontológicos podem ter pré-disposição à queda dos dentes.

Yanka Romao/Metrópoles